Maio 13, 2022

Portal Advogados

Artigos Jurídicos

Fonoaudiologia do HRN supera oito mil atendimentos em 2021

3 min read

Atuando na avaliação e reabilitação das funções de fala, audição e deglutição de pacientes internados no Hospital Regional Norte (HRN), em Sobral, a Fonoaudiologia hospitalar está presente na equipe multiprofissional dos eixos Adulto, Pediátrico e Neonatal. São realizados, em média, 700 atendimentos por mês a pacientes que necessitam deste serviço. Neste ano, até novembro, já foram mais de oito mil assistências deste tipo no HRN, unidade vinculada à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) e administrada pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH).

“A Fonoaudiologia atua prestando serviços de prevenção, avaliação diagnóstica e reabilitação das alterações de deglutição, reduzindo, juntamente com a equipe multidisciplinar, os casos de pneumonia aspirativa e óbitos causados por broncoaspiração. Os profissionais da área também atuam como multiplicadores dos seus saberes junto à rede de atenção”, explica a coordenadora de Fonoaudiologia do HRN, Havenna Portela.

A broncoaspiração é a condição na qual alimentos, líquidos, saliva ou vômito são aspirados pelas vias aéreas, o que pode ocasionar desde desconforto respiratório até uma pneumonia aspirativa.

Na maternidade, é realizado serviço de triagem auditiva neonatal e triagem de alterações do frênulo lingual em bebês, prevenindo desmame precoce da amamentação.

Reabilitação pós-Covid

Quem teve caso grave da Covid-19 e precisou ser intubado ou traqueostomizado necessita passar por uma avaliação fonoaudiológica para detectar e reabilitar as disfunções na deglutição. Os pacientes são acompanhados pela equipe após a alta dos setores Covid, ainda nas clínicas. “Para os advindos dos setores Covid, atuamos na reabilitação da disfagia e no retorno para a alimentação via oral”, afirma Portela.

A disfagia é uma dificuldade grave de engolir alimentos, líquidos ou sólidos, que pode acarretar sérias complicações, se não tratada. Entre os sintomas principais, estão tosses e engasgos na hora da alimentação, mudança de voz enquanto se alimenta e dificuldade para engolir. O paciente também pode passar muito tempo para finalizar as refeições, queixar-se de alimento parado na garganta, apresentar pneumonia ou perda de peso sem motivo.

Internado no HRN após uma crise convulsiva, o aposentado José Madeira de Albuquerque, 85, precisou ser intubado e, atualmente, mantém alimentação por sonda em virtude de um quadro de disfagia moderada a grave. A fonoaudióloga que o acompanha, Ana Karoline Santos Silva, explica que o paciente passa por uma reabilitação para retornar à dieta oral. Manoel Jurandir Melo Albuquerque, filho do aposentado, conta que o pai é assistido por vários profissionais, incluindo fonoaudiólogo. “Melhor atendimento impossível. Não tenho o que reclamar”, avalia.

Capacitações

Em 2021, foram realizados pela Fonoaudiologia, juntamente com a equipe multiprofissional, 20 abordagens e mais 300 participações em iniciativas sobre os cuidados na área, contemplando profissionais internos do hospital, cuidadores/acompanhantes de pacientes internados e trabalhadores da rede de Atenção à Saúde.

Os temas para o público interno foram relacionados ao seguimento da prescrição fonoaudiológica, a importância das notificações para melhoria do serviço, os protocolos de identificação segura e a oferta segura da dieta oral para prevenir broncoaspiração.

Foi realizado para os agentes comunitários de saúde de Sobral, ainda, um treinamento sobre os cuidados para evitar a broncoaspiração. “Essa propagação de conhecimentos fortalece a rede de atenção e proporciona melhoria na qualidade de vida da população, evitando os agravos relacionados à broncoaspiração”, diz Portela.